Sopa Antiga de Alcains


Vamos comprar

250g de feijão vermelho seco
1 dl. de azeite
1 cebola média picada grosseiramente
Fatias finas de pão já seco (entre 8 a 10 fatias)
2 ovos batidos
2 colheres de sopa de azeite a ferver
Sal 
Pimenta preta
Cominhos

Vamos fazer
Demolha o feijão durante a noite.
No dia seguinte, coze o feijão, até ficar tenro e tempera de sal no fim da cozedura, reserva o caldo da cozedura.
Pré-aquece o forno a 200º, marca 6 do fogão a gás.
Num tacho, aloura a cebola no azeite (1 dl. ), até ficar transparente, junta o feijão e o caldo e tempera com pimenta e cominhos a gosto.
Forra as paredes e o fundo de um alguidar ou tacho de barro (não muito grande) com as fatias de pão e dentro pôe o feijão com o caldo, cobre com os ovos batidos e de seguida com as 2 colheres de sopa de azeite a ferver.
Vai ao forno alguns minutos só para alourar.
Come-se bem quente.


Eu improvisei porque só tinha feijão vermelho já cozido, portanto fiz um caldo knorr campestre em água a ferver e usei-o como caldo para a sopa. Não foi uma má solução trouxe mais uns aromas à sopa! Em vez de cominhos usei cravinho.

Esta receita foi inspiração de um excelente blog e também restaurante em Leça da Palmeira, Pratos e Travessas.

Acreditem que depois de comer esta sopa, para além de me ter sentido um verdadeiro camponês, apeteceu-me pegar numa enxada e ir lavrar terra! Muito saborosa...nada levezinha! Bom apetite!

3 Degustações:

monica Pinto disse...

Olá Ricardo,
A sopa ficou com um aspecto óptimo. Concordo contigo! Esta é uma daquelas sopas que desperta o camponês que há em nós!:)
Abraço e até breve!

Anónimo disse...

O Pratos e Travessas não é no Porto, é em Leça da Palmeira!!
Bela sopa!

Ricardo.Bebe.Come disse...

Em resposta ao Anónimo! Peço desde já desculpa pela gaffe geográfica, sabe que para um Lisboeta de gema...para cima de Vila Franca de Xira é tudo Porto! ;)

Faço a correcção rápidamente!

Ricardo.Bebe.Come. Com tecnologia do Blogger.

Surgiu como escape do stress da vida quotidiana.

Cozinhar é uma arte que embora pareça tarefa, dá a satisfação dobrada de se ter criado algo e de se poder desfrutar dessa mesma criação ao mesmo tempo. É um exercício que recomendo a todos!